Monday, January 31

sobre anéis e dedos

primeiro de tudo. cris parabéns!

cris é a embaixadora do nosso blog-irmão subúrbia tales e vai fazer uma rede em breve.

em tempos de internerd, as pessoas não juntas mais as escovas de dente. elas fazem uma rede doméstica.
juntam seu computadores (também chamados carinhosamente de ´filhos´) e vão dividir uma vida. mas claro, ainda existem os que se casam formalmente, como nossa querida filha júlia selani (*orgulho*).

dizem que antes de casar, tem que ficar noivo.

na minha querida família tradicional católica interiorana (nada de TFP: gente boa, humilde, mas bem caretinha), não se coloca anel do dedo sem data de casamento marcada.
aliás, somente no último casamento realizado (em novembro do ano passado) é que os noivos conseguiram se livrar da cerimonia de noivado, que era bem bem típica na cidade.

essa cerimônia costumava ser assim: o pai do noivo colocava a aliança de noivado no dedo da noiva e a mãe do noivo colocava o anel do dedo do noivo.
isso significa que o pai do noivo aprova o casamento, feliz em ter essa moça na família dele e que a mãe da noiva concorda em entregar a sua filha ao tal rapaz.

bonito, não?

pois sim.
noivado é coisa séria na minha família.

eu... nunca dei importância.

só mais tarde eu descobri que o senso comum não é tão burro quanto parece. o melhor exemplo é o "conceito" de que precisa haver uma família para criar uma criança.
sim, shit happens. casais se separam, pessoas ficam viúvas e etc. qualquer cosia é melhor do que não ter nenhum dos dois. tudo pode ser superado, mas nada me convence de que é bom criar uma criança sem pai E mãe. (obrigada felipe por indicar o erro na redação)

a mesma coisa o noivado. hoje eu realmente acredito que noivado é única e exclusivamente o período que você demora pra organizar o seu casamento. pode ser cerimônia ou montar o apartamento, seja lá o que for, desde que dure menos de dois anos e tenha uma data limite.
não acredito em noivado de anos.

uma vez eu fiquei noiva.
ele comprou o anel, colocamos no dedo e dissemos pra todo mundo que íamos casar.

preciso dizer que a minha mãe não me perdoou até hoje? pois é.. ela não perdoou.

hoje, eu acho que ela tem razão. ela realmente acredita que quando você casa, sai de uma família e entra pra outra que está sendo criada.
não que precise deixar de ser filha dela pra ser mulher de alguém. mas é o momento de troca de prioridade. quando você forma a sua família, ela passa a ser mais importante do que a família formada por seus pais, seus irmãos e você.

não, eu não acho que marido é mais importante que pai. só acho que a família que você forma é que vai ser a sua família pra sempre. os seus pais vão morrer e seus irmãos terão suas próprias famílias.
teoricamente é pra isso que você cria seus filhos. pra que eles cresçam e formem suas próprias famílias.

é um absurdo isso que eu tô falando?

não sei. parece ser um conceito tão difícil de aplicar pra todo mundo que está a minha volta...
vai ver é um absurdo, sei lá.

eu vejo famílias menos acertadas que minha não conseguindo deixar os filhos viverem suas próprias vidas.
sempre achei que se você fosse menos chegado aos seus pais seria mais fávil se desvencilhar, mas parece ser exatamente o contrário.

sempre fui absolutamente grudada na minha mãe. desde criança até adulta. sou extremamente família. sempre fui.
saí da casa dos meus pais e não tive nenhuma crise. nem da parte deles, nem da minha.
lógico que senti falta no começo, mas me parecia ser a ordem natural das coisas. sabia que não era nada demais e que não ia sofrer por causa disso.
acho que eles também não sofreram. sentiram falta, é claro. mas com uma sensação de dever cumprido.

hoje, eu não faria mais o que eu fiz. decidir me casar e nem falar nada.
eu faria um mise en cene. só pros meus pais. arrumaria uma ocasião pra contar meus planos e tal. pra que eles se sintam parte da decisão.
claro que eles não são. e eles sabem. mas eles apreciariam o cuidado e eu acho que não custa nada agradar as pessoas que te amam.

ahh, sim... eu estava falando sobre pessoas que ficam noivas por ficar.
se quando eu fiquei noiva, tivesse marcado uma data pra casar, teria demorado muito menos tempo pra desistir.
ver realmente a coisa se aproximando e se concretizando, torna tudo mais claro. você vê se quer aquilo de verdade ou não.
se ao invés de ficar super ansiosa pra chegar logo, você começar a sentir a maior pânica da face da terra, talvez seja hora de repensar.

claro que ficar apavorado é permitido. é coisa séria.
mas acho que é melhor pensar direito.

eu só desisti quando eu vi que eu tava quase num ponto que não teria mais volta.
parei pra pensar direito e comecei a achar que eu nunca seria feliz com aquela pessoa. nem se ela mudasse. e eu nem acreditava que isso poderia acontecer.
resolvi voltar atrás.

ainda bem.

porque pensando nas coisas que fazem feliz hoje, tenho realmente certeza de que ele nunca poderia me oferecer.




colado por Miss Celânea - 7:56 PM



Sunday, January 30

Ontem eu fui roubada.

Estava na Casa Turuna vendo lances de fantasia pro carnaval glam do Cabaret, na Matriz. Eu e Helena conversando, rindo das alegorias e adereços, e abriram a minha mochila.

Meu prejuízo: uma bolsinha onde eu guardava uma escova de dentes, um tubo de pasta e uns pedaços de papel higiênico.

Eu me senti vingada.




colado por Rach - 1:30 PM



Thursday, January 27



gente,


não morri. só estou sofendo de falta de internet, ok?




colado por Miss Celânea - 7:00 PM



Wednesday, January 26


Pras floquetes q não foram: PERDERAM!!! :P~



colado por Hayuka - 1:27 AM



Tuesday, January 25


Se liga no empenho de Miriam hahahahahhaha



colado por Hayuka - 12:54 AM



Sunday, January 23

Só para dizer que além de ter sido o máximo o casório da Selani e do Pablo e de eu ter bebido Whisky e Frozen (duas das únicas três bebidas que eu gosto e de vez em nunca tomo)...



... Eu peguei um PEDAÇO do buquê! Ficou quase todo na mão da irmã da Julia, mas caiu uma flor toda linda e certinha, sem nenhuma pétala quebrada, bem na minha mão...


O que será que isso significa? União estável? Namorado novo em breve?
Vai saber!!!!!! ;)



colado por Miriam - 8:52 PM




Manual-de-beleza-Fli

Se vc quer se tornar uma pessoa esteticamente bonita, é muito fácil.

Para as mulheres:
- faça regime e emagreça
- vá para a academia e malhe pelo menos uma hora por dia
- só coma comidas saudáveis
- cuide dos cabelos (bom corte, cremes e shampoos carésimos, escova progressiva, cauterização, massagem, etc etc etc etc)
- faça as unhas uma vez por semana
- depilação e sobrancelha no mínimo uma vez por mês
- cuide da pele (cremes, tratamentos contra cravos e espinhas, limpeza de pele, etc etc etc etc)
- durma no mínimo 8 horas por noite

Para os homens
- tenha uma banda



colado por Fli - 1:17 PM




Flocgel presta suas homenagens ao casal


com o orgulho de ver sua primeira filha estabelecer os votos do casamento.

Parabéns aos recém-casados!



colado por Rach - 11:41 AM



Thursday, January 20

lie to me

hoje eu fui abrir o flocgel...
por causa daquele histórico de endereços do Internet Explorer acabei abrindo uma página do arquivo que andei lendo outro dia.
era do começo de 2003 e o primeiro post era da rach. o título era ´a ficada que nunca foi´ e falava sobre peguetes, interesses, essas coisas.
até então, eu tava achando que era a página inicial do blog... posts recentes.

eu senti um aperto no coração que vocês NÃO imaginam. pensei: whaaaaattttt?????

moral - rach e merino: NÃO TERMINEM. e se terminarem, NÃO ME CONTEM porque eu vou sofrer.


obrEgada.





colado por Miss Celânea - 8:07 PM



Tuesday, January 18

Oh!

Depois de... sei lá quanto tempo de amizade com a Fli, ouvindo ela dizer dos benefícios da endorfina, eu realmente pude comprovar seu poder em mim mesma.

E daqui pra frente, toda vez que eu chegar em casa com dor de cabeça e vontade de destruir o mundo, vou dar uma corridinha na rua. E voltar bem humorada, sorridente, sem dores e tal...

Ê, endorfina...



colado por Ligia Helena - 9:26 PM




Aí eu fiz escova progressiva, né...

Eu tô parecendo um mico-leão-dourado... Até quinta, quando será dada a primeira lavagem.

Formol é uma coisa bizarra. ARDE. Caraca, eu não tinha olhos. Cara, como é que os fetos conseguem ficar dentro do formol??? Deve ser por isso que eles ficam com os olhos fechados. o_O

ÓBVIO que eu tive pesadelos essa noite. Eu sonhava toda hora que caía água no meu cabelo e estragava a porra toda.
Eu vou andando pela rua olhando todas as possíveis goteiras de ar condicionado.

Agora resta torcer para não termos nenhum tsunami aqui no Brasil, porque senão vai molhar meu cabelo e vai estragar a escova.

Ah sim, a propaganda: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=488865
Essa é a comunidade do mágico que deixou meu cabelo fodamente bom.



colado por Marcia Soares - 8:35 PM



Monday, January 17


aí vai um empurrãozinho pra rach continuar com a melhor sessão do flocgel... VISÃO DO INFERNO!  Posted by Hello



colado por grace - 3:38 PM




o bom do flocgel é que eu posso vir aqui e discordar do post debaixo, sem nenhum pudor.

just do it, girl

sabe porque tudo isso, li? porque você tava errada.

que tal arrumar um namorado ENQUANTO vai viver sozinha, mudar sua vida, seus rumos e etc? dividir essas coisas todas com alguém?

se você fizer isso tudo e DEPOIS arrumar um namorado, vc tera um serio problema....
namorar vai ser meio POUCO... e o risco ASSUSTAR totalmente o seu querido é muito grande.
aí vai sobrar carência e insatisfação pra todo lado.

faça isso... apaixone-se, conquista, vive.

dá pra fazer isso tudo com mais intensidade se estiver apaixonada.

quanto você está sozinha, pode fazer tudo... mas sempre sobra aquele pedacinho oco.
e é ruim. rola um sentimento de: fiz TUDO. so what?
alguém discorda?

quer se cuidar? deixa alguém cuidar de você?
se eu passar o dia todo pensando no que está errado na minha vida, acho que vou a loucura.
prefiro ficar pensando em ajudar quem eu amo e confiar que essa pessoa vai me ajudar com os meus problemas também.

vamos parar com o medo de dividir, gente. dividir é bom. que tal se dar de verdade pra alguem? é bom...

tá afim de alguém? então deixa... deixa isso tomar conta de você. virar sua cabeça do avesso.
vai lá. fala pra ele. dá a cara a tapa.

é melhor que ele se lembre pra sempre de você como aquela garota que era maluca, mas realmente o quis como ninguém jamais, do que a garota que ele deu uns pegas algumas vezes e tal.

vc pode sofrer depois, mas e daí??
vive com intensidade, mesmo que sofra depois.

é mais ou menos como aquelas pessoas que se cortam...

é melhor sentir DOR do que não sentir NADA.

vai lá, lígia. você tá precisando...
e vai ser uma delícia.





colado por Miss Celânea - 2:05 PM



Sunday, January 16

E foi assim que eu cheguei à conclusão de que não faria o menor sentido ter um namorado agora: bêbada, na rodovia Raposo Tavares, voltando de uma festa na noite de 25 de dezembro na qual todo mundo bebeu litros e se agarrou, e mostrou os peitos, e falou verdades e mentiras sem pensar muito. Saí de lá em companhia de uma amiga, fomos até um templo budista que estava fechado. Então, voltando para a casa dela, lá na Vila Nova Conceição, começamos a refletir que não faria o menor sentido ter um namorado agora.

O argumento principal era: mal temos tempo para nós mesmas, que dirá para um namorado! A gente trabalha aos sábados, aos domingos, durante a semana, não fazemos as unhas e nem depilamos as sobrancelhas por falta de tempo. A gente tem tanta dívida que não consegue nem comprar calcinhas novas, que sentido faz ter um namorado agora?

Aí decretei que 2005 era o ano de cuidar de mim. Emagrecer, juntar uns dinheirinhos para mudar o guarda-roupa, viajar, fazer as intervenções médicas e cirúrgicas que eu acho que preciso, manter os médicos em dia, para de fazer fofoca, arranjar tempo para estudar, fazer esporte, ler, dormir, ficar linda, tentar ir morar sozinha para aí então correr atrás dessa defasagem emocional. Ela concordou, a gente riu, bêbadas: era pra ter ido até o templo budista às 6h do dia 26 de dezembro?

Aí 2005 chegou. Deixei o pretê que estava cultivando de lado, passei a prestar mais atenção em mim, a me cuidar, etc etc etc. Mas aí uma amiga começa a namorar. E o outro amigo também. E quando chegam os domingos, tudo o que eu consigo fazer é ficar entediada. E quando começa a chover, eu só consigo pensar: caramba, que ótimo seria ter um namorado agora.

Mas aí eu repito, em voz alta: isso não faz o menor sentido!

E 2005 não tá aí pra isso.

Me aguardem.



colado por Ligia Helena - 10:18 PM




Eu tô tentando arrumar meu armário. Mudança. Até que tô conseguindo jogar um monte de coisa fora. Eu não gosto de me desfazer das coisas. Eu tenho dificuldades com términos de ciclos, de uma forma geral. Eu tenho maneiras estranhas pra conseguir trabalhar essas coisas na minha mente sem que eu fique triste, de bad total. Eu acabo voltando atrás.

Até que eu tô conseguindo me desfazer das coisas sem doer tanto. Pode ser que amanhã eu mude de idéia. Embora eu saiba que esteja errado.

Eu achei agendas da Chomp, disquinhos de histórias infantis e vinil do Sergio Mallandro. Isso eu não jogo fora.



colado por Marcia Soares - 5:45 PM




Eu acabei de QUEBRAR um vinil do Legião Urbana pra jogar NO LIXO.

Eu me sinto melhor agora.

(foi um SUSTO encontrar ISSO dentro do MEU armário)

Eu ODEIO Legião Urbana.



colado por Marcia Soares - 5:40 PM




E 2005 já começa com uma grande revelação de estilo e glamour: Alexandre, aquele mesmo, o Grande.

Ele faz luzes no cabelo. Pinta o olho de preto. Usa uma capa vermelha toda bordada em dourado. Sempre por cima do saiote branco, com umas sandalinhas trançadas. Seu cavalo preto é coberto por uma manta de estampa de bicho, tipo uma oncinha.

E o que é melhor: ele pega o Jared Leto/Jordan Catalano.

Meu ídolo.




colado por Rach - 1:03 PM



Saturday, January 15

é.



depois de... deixa eu ver...

hummm...


5 anos?



é.


... eu comprei um biquini.



e é isso.






colado por Miss Celânea - 3:44 PM



Friday, January 14

A gente muda

O tempo todo. Por vontade própria ou influências externas. Sejam influências de pessoas ou de tempo e espaço. A gente muda o tempo todo.

E eu acho bem fácil mudar: agora, por exemplo, pus na minha cabeça que quero voltar a ser uma pessoa do bem, que se preocupa com a própria vida e não com a vida alheia. Cansei de gastar meu tempo falando mal e policiando os outros. Me deu uma agonia tão grande perceber que eu estava passando tempo demais cuidando de coisas idiotas.

Esta foi uma mudança para o mal resultada de influências externas. E que só eu posso mudar, uma vez que não quero trocar de amigos, trabalho, espaço, cotidiano. Só quero olhar pra mim mesma e aparar as arestas.

Agora, esperar por mudanças dos outros é a maior furada. Não que os outros não mudem, longe disso. O problema é que nós, que queremos ver as mudanças, não temos muito poder para mudar os outros. E aí, é esperança em vão.

Acho que quando é para a gente mudar pra melhor, vale toda a determinação do mundo. Para os outros mudarem, só resta a torcida.





colado por Ligia Helena - 11:10 AM



Thursday, January 13

As pessoas não mudam.
Ou então, “quem te viu, quem te vê”.
Acreditar que as pessoas podem mudar é uma questão de fé. Alguns acham que ninguém é capaz de mudar, nem mesmo depois das grandes reviravoltas da vida. Outros (aqueles que têm mais confiança na raça humana) afirmam que sim, é possível mudar, desde que a pessoa tenha este desejo da mudança dentro dela.
Quer saber? Estas duas perspectivas só valem se estivermos falando de mudanças para melhor. Porque se o foco da questão for simplesmente mudança por mudança, as pessoas mudam sim. Mudam para pior. Pessoas bacanas passam a ser uns escrotos de marca maior. Pessoas que antes tinham determinados valores éticos e morais são muito bem capazes de passar por cimas de todos estes valores para conseguirem alguma coisa de seu interesse. Já vi este filme tantas vezes...
O lado bom dessa história é que ela prova que mudar é possível. E em sendo possível, a mudança pode ser para qualquer lado. É claro que mudar para melhor é bem mais difícil, mas isto não quer dizer que seja impossível.
O problema principal é saber se a mudança para melhor é definitiva, ou se estamos apenas nos deparando com mais uma tentativa.
Talvez não seja possível mudar a essência de alguém. Escroto nasceste, escroto morrerás. Bom caráter nasceste, e mesmo dentro de teu momento de escrotidão terás lampejos de bom caratismo. Talvez a essência possa ser mudada às custas de muito esforço. Esforço hercúleo, digamos assim. Agora, o que pode ser modificado é a atitude pessoal com relação à essência. Treino e dedicação podem transformar as reações humanas aos estímulos, então, se treinarmos nossas reações no sentido da melhora, podemos não mudar nossa essência, mas estaremos evoluindo. Evoluindo. Evoluindo. Evoluindo sempre.



colado por Fli - 11:53 AM



Tuesday, January 11

Todos os relacionamentos deveriam terminar no momento em que é dita a frase: "Quer namorar comigo?"

Tá, é brincaderia, óbvio. Eu adoro namorar, ter alguém por perto, saber que alguém te espera e também esperar esse alguém, amar e ser amado.

Mas essa fase do começo do interesse, quando você ainda não sabe no que uma coisa pode dar mas também já sabe que não é um lance totalmente perdido é tão gostosa, mas tão gostosa, que não deveria terminar nunca.
Acho maravilhoso deitar a cabeça no travesseiro e imaginar feito uma adolescente os possíveis diálogos, os encontros perfeitos, as coisas lindas que poderiam acontecer e que marcariam sua vida e principalmente, ficar revivendo essas imagens de novo quantas vezes quiser. E é tão fofo quando você surpreende um olhar inesperado ou escuta suas amigas falando algo que você não tinha nem notado!!!
Acho que o ideal para se manter um relacionamento feliz deveria ser poder se permitir ouvir a frase lá de cima e não alterar seu comportamento diante da nova condição. Parece fácil, mas na verdade, não é. Porque embora a gente tenha a tendência de crer que conseguirá manter todo aquele clima de liberdade, todo aquele envolvimento leve e despretensioso após a declaração do fato como compromisso, as coisas mudam sim. E aí começam os conflitos, começam as cobranças e toda aquela chatice. O triste é que embora os homens tenham um pouco de dificuldade em admitir, isso muda muito na cabeça deles. Parece que a mulher que escolheram para namorar de repente não pode mais ser quem é, usar as mesmas roupas, fazer as mesmas brincadeiras. Claro que há exceções, mas de modo geral, isso acaba acontecendo SIM. E é estranho, porque quando começam a te cobrar e a rolar hipocrisia, parece que todo o encanto inicial vai por água a baixo.

E que eu não saia dessa fase deliciosa tão cedo...Ou, que eu saia sim, mas consiga dosar bem a doce ilusão do início com a realidade dos fatos de que nada nem ninguém é perfeito. Esse será meu desafio emocional para 2005. :)



colado por Miriam - 3:51 PM



Monday, January 10



amélia é que era mulher de verdade


um dia o papel da mulher já foi cuidar dos filhos, da casa e do marido.
os sociólogos e antropólogos tem um milhão de toerias que justificam o fato da mulher ter ganhado esse papel. eu prefiro achar que é uma coisa meio natural, não pra todas, mas natural.

enfim... as mulhereses desses dias brigaram muito para que tudo fosse diferente e se aproveitaram de uma certa guerra para provar que podiam trabalhar, sim.

o que aconteceu na verdade foi que elas acabaram acumulando papéis. além de donas de casa, mães de famílias, agora elas também pecisam ter carreiras e mandar muito bem.
é muto bonito pensar numa divisão justa de papéis e etc, mas a verdade é que bem menos da metade dos homens que você conhece lava a louça após o jantar ou dá banho nas crianças e estende a roupa enquanto a mulher vai ao supermercado.

eu nem quero levantar essa questão da divisão de papéis, não. quero falar sobre como as mulheres foram manipuladas pela economia.

depois da mulher passar gerações lutando pelo direito de poder ter uma carreira, o mundo se aproveitou disso. gerou-se mais um bom motivo para tornar a economia ainda mais opressora.
como todas as mulheres querem ter acrreiras mesmo, tornou-se possível apertar ainda mais o trabalhador comum.

se as mulheres não trabalhassem e a economia fosse a atual, as familias morreriam de fome e o sistema entraria em colapso de verdade, certo??


pois então...


muito estranho pensar nisso.


eu já fiquei muito tempo desempregada e posso dizer sem dúvida que, se eu não pudesse ter uma carreira, ficaria completamente esquizofrênica e ainda enlouqueceria todos os que estivessem a minha volta. mas eu também conheço ´garotas de hoje em dia´ que viveriam felizes e contentes cuidando de casa, filhos e maridos, mas hoje isso é impossível.

quantos caras você conhece que vão ter condições sustentar casa, mulher e filhos em 5 anos?
eu só conheço 2. (e não, não vou dizer quem são, nem apresentar a ninguém porque eles já foram devidamente laçados - e só um deles realmente namora uma amélia que viverá a aspiração em sua plenitude)


resumo: ganhar o direito de ter carreira custou exatamente perder o direito de ser dona de casa.


isso é bom ou ruim?


please, não responda pensando em você. estou tentando entrar num lance mais coletivo.
tá... eu sei que ando com uns questionamentos idotas esses dias, mas isso não vem ao caso.. tô com saudade de escrever aqui, já que não recebo os e-mails da floc-list



colado por Miss Celânea - 11:14 PM



Sunday, January 9

Se você gosta de roupa bonita, bem feita, com design exclusivo e com preços acessíveis, não deixe de visitar o stand da minha querida amiga Athria Gomes, na Feira Hype do Rio de Janeiro. Athria acabou de ser indicada pelo Jornal O Globo como a promessa do estilismo em 2005, e quem como eu já foi conferir os modelos não se contenta em sair com uma peça só. Quem quiser dar uma olhada no evento que reúne os novos talentos da costura atual e conhecer um pouco mais sobre a Athria, dá um pulinho no site Rio Moda Hype. Vale a pena!



colado por Miriam - 6:33 PM




Sintonia de família IV (bem, eu acho que é IV)

O fogão aqui de casa está dizendo adeus há algum tempo. Essa semana minha mummi resolveu prestar atenção no que nosso estimado eletrodoméstico vinha tentando lhe dizer.
Sendo assim, mummi resolveu que devemos ter um fogão novo.
Hj mummi abriu um daqueles encartes que vem no jornal de domingo e começou a pesquisar preço de fogão.

Mummi: Pronto, achei. Essa marca Dako é boa, né?
Fli e seu Papi ao mesmo tempo, no ritmo de Tati Quebra Barraco: Dako é bom! Dako é bom!



colado por Fli - 2:57 PM




ódio

qual a diferença de ódio e raiva? eu tenho sempre um troço que chamo de raiva física, que é quando o sangue ferve tanto que eu tenho vontade de bater. é raro, são pouquíssimas as pessoas que conseguem me deixar neste estado. porque geralmente eu prefiro ignorar, desprezar, deixar pra lá as pessoas de quem eu não gosto.

e aí tem essa menina, que no começo eu achava só chata (é senso comum: ela é, do brasil, a mais chata, concorrendo a maior do mundo) e aí conseguia ignorar. mas ela foi capaz de ser tão escrota e inconveniente que acabei tendo essa tal de raiva física. e quando hoje, ao telefone, eu desabafava com minha amiga sobre o quanto a outrazinha era escrota e da minha vontade de bater nela até deixá-la desfigurada, me questionei: será que essa raiva física mortal é ódio?

porque eu juro, se não houvesse um obstáculo entre as duas, pelo menos uma piaba na orelha ela teria levado. vaca.

e aí as questões são as seguintes:

- qual a diferença de raiva e ódio?
- será que eu devo bater nela até deixá-la desfigurada?

respondam, please.





colado por Ligia Helena - 9:09 AM



Friday, January 7



loura gelada


é senso comum a briga de homens e mulheres pelo ar condicionado nos ambientes de trabalho.
dezenas de mocinhas morrendo de frio e não muito másculos ditadores mantendo o ambiente frigorífico.

no rio de janeiro é ainda pior. o dia está rachando mamona na sombra e os escritórios bombando, todo mundo de blusa de lã.

eu sempre acreditei que mulheres fossem mais calorentas do que homens. tiro por mim. o sol me derrete.

mas o problema no trabalho tem menos a ver com fisiologia e mais com código de vestuário.

do mais formal ao mais informal, a distância entre o mínimo permitido entre o homem e a mulher é sempre muito grande.

se as mulheres usam terninho, por baixo dele é permitido usar uma blusa fininha, fresquinha e, pra quem não acha incômodo, até alcinha.
se as mulheres usam terninho, os homens usam terno e por baixo dele é obrigatório camisa e gravata.

quem leva vantagem ao colocar o paletó na cadeira?

se as mulheres não usam terninho, mas ainda sim são mais formais, quase todo tipo de blusas são permitidas.
num ambiente sem terno, mas ainda formal, os homens não vão se livrar da camisa de manga comprida, seja ela com gravata ou não. não vou nem comentar a camisa de manga curta porque eu acho bem feio mesmo (e inadmissível quando leva gravata).

mesmo num lugar totalmente informal, os homens ainda estão amarrados à camiseta que ainda é bem quente.

é isso.

conclusão
a ética indumentária transforma os homens em ditadores siberianos.



- que lixo de post, hein, karla...
- é.. mas o assunto parecia bom em algum momento...





colado por Miss Celânea - 7:34 PM



Tuesday, January 4

Vibe

Vibe é uma palavra muito boa. Eu nunca tinha pensado nela até que a Maria Paula (sim, aquela do Casseta e Planeta) disse para uma amiga minha que estava ventando muito pq “a vibe estava mudando”. Desde então eu passei a dar mais atenção a esta palavra, ou melhor, a este conceito.
Por exemplo, eu acredito fielmente que nossos computadores pifam exatamente no momento em que mais precisamos deles, por causa da nossa vibe. Porque é justamente quando mais precisamos deles que emitimos uma energia tensa, vibe ruim, sacou? A gente fica muito tempo em frente à tela do computador, com toda aquela tensão, emitindo ondas energéticas ruins. O computador é movido a energia, então ele absorve toda a nossa energia ruim e... uma semana antes da entrega da monografia ele dá tilt não funciona nem por Santa Maria.
É por este motivo que quando eu estou surtando e gritando com meu computador, eu desligo tudo, vou fazer outra coisa até me acalmar e só volto a trabalhar depois de mudar a minha vibe. Ah, se eu soubesse dessa técnica na época da minha monografia...
Só as pessoas tem vibe. Os lugares, por si só, não têm vibe. A vibe dos lugares se dá devido à soma das vibes das pessoas que freqüentam os lugares (ou que já freqüentaram). Pode reparar que tem certos lugares onde você simplesmente não se sente bem. O melhor exemplo é um hospital. Se você fica ali naquela sala de espera onde o povo está nervoso para saber notícias dos parentes e amigos, pode perceber que, mesmo que você esteja num dia bom, você vai sair de lá mais pesado. Por outro lado, se você fica ali naquele aquário onde eles mostram os bebês recém nascidos, é certo sair de lá se sentindo mais feliz e mais leve. Toda aquela alegria das vovós e titios e priminhos babões geram uma vibe boa no local.
Algumas vezes nós somos forçados a freqüentar lugares e conviver com pessoas de vibes nada a ver. Quando isso acontece, o que eu faço é tomar um bom banho. Para mim, o melhor (e único) remédio para limpar a vibe ruim é água. A do mar é a mais poderosa, depois vem cachoeira e rio. Como nem sempre rola de dar uma passada na praia, na cachoeira ou no rio (na verdade, quase nunca dá) o que se pode fazer é tomar banho. De preferência de chuveiro, que e água corrente. E é muito importante lavar a cabeça, já que é nesta parte do corpo que a vibe é mais forte. Nada de “ah, fiz escova, não vou molhar o cabelo”, pq vibe ruim estraga até a escova. Ah, e também é muito importante colocar as roupas que foram expostas à vibe ruim para lavar.
A vibe pode ser espontânea (quando não tem motivo). Tem dias que você simplesmente acorda com uma vibe boa. Você não fez nada demais, não passou a noite meditando (ou fazendo sexo), não ficou ouvindo o barulho das ondas no mar, não, nada de mais, e mesmo assim você acorda com uma vibe boa. E tem outros dias, que também do nada, é o contrário, a vibe tá péssima. Mas o que ocorre na maioria das vezes é que nós criamos a nossa própria vibe. Através das pessoas que nos cercam, dos lugares que freqüentamos, dos nossos pensamentos.
É muito importante saber que a vibe mais poderosa é a vem da gente, é a que a gente escolhe. E é por isso que eu escolho um 2005 de vibe excelente. Feliz Ano Novo, floquetes e leitores.



colado por Fli - 4:01 PM




aquele cara era um idiota...

outro dia, o klein escreveu um post sobre uma ex-pessoa.

(...) vendo da pior perspectiva, eu sou uma pessoa que você e suas amigas ridicularizam - você até já me confessou que a sua mãe não dava nada por mim - assim como você é uma pessoa que eu e meus amigos ridicularizamos.

esse é o meu ponto de partida, ok?
(lembre-se: eu escrevo e não leio, portanto, vou sair daqui e ir para um lugar totalmente diferente, deixando o título do post completamente sem sentido)

outro dia, um amigo meu terminou um namoro também. quando uma outra pessoa ficou sabendo, o comentário foi simples e direto: que bom. porque ela era feia e chata.

normalmente é assim que funciona. enquanto você namora, ninguém nunca diz nada. depois, todos se revelam. salvo raras exceções, resguardadas por grandes amizades ou por caras que realmente não valem o que comem. mas na maioria das vezes a gente não ouve as recomendações desse coro grego.

uma vez eu namorei um cara que ninguém, absolutamente ninguém, gostava.
meus pais não gostavam, meus amigos não gostavam. nem mesmo os amigos dele gostavam dele.
claro que ninguém nunca falava essas coisas pra mim. eu até sabia disso, mas ninguém ficava comentando.
quando terminamos eu simplesmente não falei nada pra ninguém. fiquei na minha. eu não queria falar no assunto porque toda vez que eu falava, acabava chorando, aquelas coisas...
em suma, todo mundo demorou uns 3 meses pra perceber que eu não estava mais namorando, mas quando souberam, a primeira coisa que fizeram foi confessar o quanto todos estavam tristes em me ver com um cara daquele e como ele era bizarro.

isso significa que a gente tem uma postura de proteger a pessoa que gosta. você assume uma posição tão certa que ninguém nunca vai ter coragem de te enfrentar e dizer que a pessoa não é como que você acha. isso pode ser ruim? sim. mas acho super saudável.

imagine todo mundo dizendo o que quer? um caos, né?

se alguém fica falando pra você dos defeitos do seu namorado é porque sente que pode convencê-la disso.
o que dá abertura pra esse tipo de coisa? você ficar numerando os defeitos do pobre coitado.

sabe aquelas esposas que ficam falando o tempo todo que o marido faz isso, que o marido faz aquilo, pipipi, popopó? pois é... dali a pouco, todo mundo vai se achar no direito de achar que o fulano isso, aquilo, pipipi, popopó.

isso mostra que você só deve falar com outras pessoas sobre aquelas coisas que te deixam completamente a vontade. pode até ser um “defeito”, mas algo que não te incomode de verdade. o que te incomoda, discuta com o próprio, afinal, só ele realmente vai poder fazer alguma coisa sobre.

sabe, ser casal é fácil.
não sei porque as pessoas ficam complicando...



(eu comecei falando sobre o que, mesmo?)


update: lembrando a todos que este é o ano em que a primeira floquete se casa (uma vez no álbum, sempre fugurinha). parabéns julia e pablo, que bem sabem como ser casal!








colado por Miss Celânea - 10:13 AM



Saturday, January 1

Eu ganhei uma caixa com DUZENTAS E VINTE amostras grátis do Seda Color Vital, que por sinal é excelente.
Em 2005 eu não vou comprar shampoo, pré-shampoo e condicionador.



colado por Marcia Soares - 11:57 PM




Quando eu trabalhava em uma empresa que recebia trocentas reclamações e dava um treinamento medíocre para quem dava as caras pro cliente reclamão (e com razão), sempre que eu despachava um desses clientes que vinha atazanar num FERIADO, eu dizia: "Caralho, as pessoas não trepam!"
Pô, um FERIADO e o cara tira pra reclamar no meu pobre ouvidinho e eu TRABALHANDO! Vai trepar, sabe?!

Hoje, dia 1o de janeiro, eu liguei pra Vivo pela primeira vez como cliente pós. Eu tinha dúvidas em relação à consulta de saldo. A pessoa que me atendeu me deu três explicações diferentes e completamente inversas para a MESMA pergunta que eu fazia e contestava sua resposta. Por fim, a pessoa disse pra eu aguardar minha conta e, se tiver algum erro, ligar pra lá que eles alteram. ALOW! Eu quero consultar! Enquanto isso eu vou gastando o meu celular, né?! Sabe, eu desisti de falar com a pessoa porque, como sabiamente diz a Fli, "tem uma hora na vida que a gente tem que assumir que perdeu". Eu sei que a pessoa não tem culpa das instruções e treinamentos que recebe e eu tenho MUITA dó dela estar trabalhando em pleno dia 1o de janeiro, mas eu fiz questão de dar um esculacho educado e pertinente, porque eu sei que a porra da ligação é gravada e a empresa tem que mudar o atendimento aos clientes.
Eu preciso trepar.



colado por Marcia Soares - 11:43 PM



.
Flocgel
Sexto Aniversário! 09/06/2008
Rach
Rach

Lija
Lija

Karla
Karla

Joaka
Joaka

Hay
Hay

Guega
Guega

Cinha
Cinha


Biba

Fli
Fli

Miriam
Miriam


Mais Floc



Mais Rach:
Vida de Sitcom
Suburbia Tales
Fotolog

Mais Guega:
Praça Púbica
Amistad
Fotolog

Mais Joaka:
Der Mond
Suburbia Tales
Fotolog

Mais Hay:
Pérolas ao Pai
Fotolog

Mais Biba:
Pérolas ao Pai
Fotolog

Mais Cinha:
Suburbia Tales
Fotolog

Mais Lija:
Cinco Coisas
Fotolog
Flickr


Links

Teoria Pedestáltica
Andy Warhol
Revista Bala
Infância 80
Isabel Vasconcellos
Jornal do Commércio
Jornal de Poesia
London Burning
MixBrasil
Mood
Naturally Curly
no mínimo
Orisinal
Peanuts
Portal X
Roy Lichtenstein
Sombrero Noturno
Turma da Mônica
Yabu Media


Sons

Arcade Fire
Arctic Monkeys
Art Brut
Autoramas
The Beatles
Belle & Sebastian
Bidê ou Balde
Bloc Party
Blur
Boy Kill Boy
Cabaret
The Cardigans
Charme Chulo
Chico Buarque
Clap Your Hands Say Yeah
The Cranberries
The Cure
Dave Matthews Band
Death Cab for Cutie
Ecos Falsos
Editors
Franz Ferdinand
Garbage
Green Day
Hard-Fi
Hereges
Hole
Hot Chip
Hot Hot Heat
I'm From Barcelona
Interpol
Janis Joplin
Kaiser Chiefs
The Killers
The Kooks
Le Tigre
Los Hermanos
Ludov
Madonna
The Magic Numbers
Maxïmo Park
Monobloco
Netunos
OK Go
Paralamas
Pato Fu
Pedro Luís e a Parede
The Pipettes
Pipodélica
Pixies
Placebo
The Poliphonic Spree
Queens of the Stone Age
Radio 4
Radiohead
The Raconteurs
The Rakes
The Raveonettes
Rita Lee
REM
Sheryl Crow
She Wants Revenge
The Shins
Smiths
The Strokes
Tom Jobim
Violent Femmes
Wilco
We Are Scientists
Weezer
White Rose Movement
The White Stripes
Wonkavison
Yeah Yeah Yeahs

Blogs

Uma Dama não Comenta
Vida +ou-
Lumos
Lounge
Ai Minha Santa Aquerupita
Lixomania
O Diário de Byron Parker
Robs Piano Bar
Mexerica
Como faz?
Te dou um dado?
Post Secret
Tudo está rodando
Meme de Carbono

arquivos

June 2002
July 2002
August 2002
September 2002
October 2002
November 2002
December 2002
January 2003
February 2003
March 2003
April 2003
May 2003
June 2003
July 2003
August 2003
September 2003
October 2003
November 2003
December 2003
January 2004
February 2004
March 2004
April 2004
May 2004
June 2004
July 2004
August 2004
September 2004
October 2004
November 2004
December 2004
January 2005
February 2005
March 2005
April 2005
May 2005
June 2005
July 2005
August 2005
September 2005
October 2005
November 2005
December 2005
January 2006
February 2006
March 2006
April 2006
May 2006
June 2006
July 2006
August 2006
September 2006
October 2006
November 2006
December 2006
January 2007
February 2007
March 2007
April 2007
May 2007
June 2007
July 2007
August 2007
September 2007
October 2007
November 2007
December 2007
January 2008
February 2008
March 2008
April 2008
May 2008
June 2008
July 2008
August 2008
September 2008
October 2008
November 2008
December 2008
January 2009
March 2009
May 2009
June 2009
December 2009
January 2010

 

Campanhas

Dos males o menor

O que está por baixo também conta

Mulher monga, não!

Afins

Blogs Hermanos
[ <|>|?|#]


View My Guestbook
Sign My Guestbook

Powered by Blogger